Loading
fechar

Acesse o conteúdo da Revista

Se você não tem cadastro, Cadastre-se agora

Acesse o conteúdo completo Assine a Revista

Impressa ou digital, em até 12x no cartão

Carrinho

Seu carrinho contém

Item Valor

Revista Negócios PE

Edição nº 142

R$ 130,00

Revista Negócios PE

Edição nº 142

R$ 130,00
Subtotal R$ 149,90

Matérias

Encontre a matéria abaixo ou pesquise aqui

ou por Revistas Guias Seções Cadernos Especiais

Matérias » Negócios PE - 46ª Edição

Inteligência artificial aliada ao Direito

Em tempos de crise, reduzir custos tornou-se uma prática comum para as empresas. Mas, além de diminuir despesas, outra rotina tornou-se essencial para a boa saúde financeira no meio corporativo: o investimento em inovação, na inteligência e na otimização dos negócios, quaisquer que sejam os setores.

Em tempos de crise, reduzir custos tornou-se uma prática comum para as empresas. Mas, além de diminuir despesas, outra rotina tornou-se essencial para a boa saúde financeira no meio corporativo: o investimento em inovação, na inteligência e na otimização dos negócios, quaisquer que sejam os setores. Foi pensando assim que um dos mais antigos escritórios de advocacia de Pernambuco, o Urbano Vitalino Advogados adotou a inteligência artificial e a universalização dos processos para as atividades do dia a dia. E assim dar um salto de qualidade nos serviços prestados aos seus clientes pelo Brasil.

Há cinco anos, o escritório foi um dos primeiros no estado e no país a implantar seu próprio sistema de acompanhamento processual. Batizado de Knox, pode ser acessado em qualquer lugar do mundo, por meio de seus correspondentes, tendo por trás uma equipe de desenvolvimento exclusiva para acompanhar as estratégias e comunicação do escritório no dia a dia. Com isso, um advogado que acompanhava 250 processos antes, hoje consegue atender cerca de 800. “Montamos nosso sistema. Nosso principal ganho foi a produtividade. Nossa comunicação teve um salto de qualidade. Não há ruído entre os setores. As informações passaram a ser trocadas instantaneamente, sem precisar de e-mails”, diz Bruno Souza, sócio do Conselho Consultivo do Escritório Urbano Vitalino Advogados e que comanda a área de Tecnologias ligadas ao Direito.

Souza avalia que a produtividade aumentou, mas não somente isso. Ele cita também o ganho com os custos e, principalmente, a qualidade de vida. “Temos em torno de 70 advogados em home office, que trabalham em suas casas conectados com o nosso sistema”, explica. Segundo o advogado, o escritório atendia 18 mil processos em todo o Brasil. Hoje, esse número saltou para 120 mil. “Creditamos esses resultados ao investimento no setor de tecnologia. Conseguimos atender com qualidade e com um preço muito mais competitivo para o mercado”, acrescentou.

Aliado ao desenvolvimento de um sistema processual universalizado, a Urbano Vitalino Advogados fez outra aquisição de peso e inovadora. Adotou Carol, que integra a plataforma de inteligência artificial Watson desenvolvida pela IBM. Não seria errado dizer que Carol é a primeira advogada digital do Brasil. O robô, assim batizado, extrai informações de processos, identifica, avalia e joga dados no sistema do escritório. Para a dimensão de atividades exercida por Carol foram inseridos no sistema de dados quase quatro mil tipos de citações. “Carol faz a leitura do processo, extrai os dados e coloca no sistema. Ela analisa e toma decisões sozinhas baseadas nas citações acrescidas ao sistema”, explica Bruno Souza.

Além da assertividade, a assistente virtual Carol trabalha em média 30 a 40 segundos em um cadastro. Um colaborador, entretanto, levava cerca de 15 minutos. “Sem dúvida, houve um ganho substancial na produtividade e nos acertos. Os erros eram recorrentes. Agora, o número de acertos gira em torno de 96%”, diz Bruno Souza. E como em todo sistema de machine learning, a tendência é que Carol aprenda mais sobre seu ofício e, com o tempo e a experiência adquirida, consiga taxas cada vez maiores de sucesso. Ela ainda sugere modelos de defesa. “Ao invés de procurar na imensa lista de teses processuais, Carol vai sugerir a partir de uma leitura inicial. Por meio da inteligência artificial vai ser sugerido o caminho que tiver mais chance de êxito”, explica Souza. Para esta fase, no entanto, ela ainda está em teste. A previsão é de que até o fim do ano esteja funcionando 100%. “Isso vai reduzir o custo para o cliente, pois também implica em minimizar etapas; propor acordos”, acrescenta.

Consultoria

Com base no sistema de dados dos seus clientes, a Urbano Vitalino Advogados quer ir ainda mais além no atendimento às demandas de seus parceiros. Numa terceira fase, o escritório vai demandar soluções para melhorar a performance dos serviços e assim diminuir as reclamações eventuais que possam surgir na Justiça.

A iniciativa é pioneira. O escritório já oferece informações aos clientes dos setores de varejo, trabalhista, a identificação de possíveis problemas no sistema operacional, não somente no jurídico. Tudo isso tendo a tecnologia para melhorar a gestão e os resultados dos clientes.

Seria Watson um robô?     

Seria Watson um robô? Essa poderia ser uma pergunta natural visto a quantidade de benefícios que a plataforma traz para os diversos setores produtivos. Mas, não! Não é um simples robô. Vai além disso. A plataforma Watson, desenvolvida pela IBM, é um software com capacidade cognitiva e utilizada por várias áreas, entre as quais a jurídica.

Traz, segundo o diretor-executivo para as regiões Norte e Nordeste da IBM, Roberto Ramalho, além dos ganhos em produtividade, a capacidade de prover aos profissionais uma tomada de decisão muito mais embasada, pela sua eficiência em entender um volume de dados, como os que existem em imagens, vídeos e documentos, impossíveis de serem entendidos rapidamente por um ser humano.

“Devido à alta capacidade de executar tarefas com um índice de precisão muito elevado, inclusive utilizando linguagem natural se assim for requerido, de um volume altíssimo de dados, principalmente não estruturados, o Watson pode ir além da Inteligência Artificial”, pontua Ramalho. Para tanto, diz o executivo, a Inteligência Artificial vai transformar profissões.

Valor agregado

Carol, como é chamado o 'Watson” do Urbano Vitalino, consegue acessar mais de quatro mil citações jurídicas, processos, e com isso, tornou-se a “primeira advogada digital do Brasil”. Mas, diferentemente do que possa parecer, Carol não vai eliminar empregos. Ao contrário. Para Ramalho, toda a inteligência por trás do Watson está disponível para que desenvolvedores criem as mais incríveis aplicações em cima dela.

“Muito mais do que eliminar empregos, a Inteligência Artificial vai transformar profissões. Sem dúvida, a automação de processos repetitivos de baixo valor agregado, através de Inteligência Artificial, vai trazer ganhos de eficiência para as empresas, mas o principal foco da AI é aumentar a capacidade humana para tomar decisões cada vez mais assertivas, fornecendo informações e insights baseados em dados que seriam humanamente impossíveis de analisar em pouco espaço de tempo. Com estas informações da Inteligência Artificial, poderemos tomar decisões muito melhores”, avalia.

Para o futuro, Ramalho prevê uma evolução constante. Isso porque, quanto mais Carol lê, aprende, mais inteligente fica. “A plataforma está constantemente aprendendo, e quanto mais aprende, melhor fica. As capacidades cognitivas vão aumentando, o índice de acerto aumenta, e com isso as possibilidades são incrivelmente abrangentes. O Urbano Vitalino saiu na frente, e tenho certeza que vai continuar inovando e acrescentando tarefas e capacidades para Carol”, acredita o executivo da IBM.  

Negócios PE - 46ª Edição
Revista Negócios PE

Negócios PE - 46ª Edição

Matérias desta edição

Negócios PE - 46ª Edição
Negócios PE

Negócios PE - 46ª Edição

Apenas R$ 29,90
Publicidade | Publicidade 03 - Banner Matrias
PUBLICIDADE