Loading
fechar

Acesse o conteúdo da Revista

Se você não tem cadastro, Cadastre-se agora

Acesse o conteúdo completo Assine a Revista

Impressa ou digital, em até 12x no cartão

Carrinho

Seu carrinho contém

Item Valor

Revista Negócios PE

Edição nº 142

R$ 130,00

Revista Negócios PE

Edição nº 142

R$ 130,00
Subtotal R$ 149,90

Matérias

Encontre a matéria abaixo ou pesquise aqui

ou por Revistas Guias Seções Cadernos Especiais

Opinião » Negócios PE - 46ª Edição

Uma caixa de assistência que nos orgulha

Seja nos noticiários ou nas rodas de conversas, a palavra que se sobressai é ?crise?. Conforme o dicionário Houaiss, em uma de suas definições, crise é um ?estado de incerteza ou de vacilação?. É crise econômica, financeira, na segurança e por aí vai. Mas o pior estado de incerteza ou de vacilação que enfrentamos é aquele relacionado à falta de credibilidade das instituições, ou seja, a crise da representatividade.

Seja nos noticiários ou nas rodas de conversas, a palavra que se sobressai é “crise”. Conforme o dicionário Houaiss, em uma de suas definições, crise é um “estado de incerteza ou de vacilação”. É crise econômica, financeira, na segurança e por aí vai. Mas o pior estado de incerteza ou de vacilação que enfrentamos é aquele relacionado à falta de credibilidade das instituições, ou seja, a crise da representatividade.

E os seus efeitos extrapolam os limites do Estado brasileiro, alcançando a sociedade em todos os seus níveis, inclusive nas entidades de representação sindical ou de classe, desde sindicatos a conselhos, federações e confederações. A instituição que não conseguir se modernizar, preservando sua credibilidade e consolidando os laços com a sua base, está fadada a enfrentar um processo de esvaziamento, de afastamento ou até de decadência.

Os cidadãos ficam dia a dia cada vez mais exigentes. E isso é muito bom. E querem mais. Ninguém se conforma em pagar passivamente os seus tributos e não ter a devida contrapartida. A despeito de não possuírem qualquer natureza tributária, o mesmo se aplica às anuidades pagas à Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), por meio da quais se mantêm, dentre outras inúmeras atividades, os benefícios e serviços da Caixa de Assistência dos Advogados (Caape).

Sintonizados com esses novos tempos, procuramos, desde o início, adequar a estrutura da Caape ao modelo de gestão adotado na OAB-PE, conduzido com rigor pelo presidente Ronnie Duarte, e que tem como pilares fundamentais a austeridade – outra exigência marcante da população – e a oferta de mais serviços de qualidade à advocacia pernambucana, em todas as regiões do Estado.

Nosso compromisso foi de manter a gama dos bons serviços aceitos pela advocacia pernambucana, atualizá-los e ampliá-los. E elegemos no início a missão da Caape, que é a de conjugar os verbos certos em prol da assistência à advocacia pernambucana: ouvir, dialogar, respeitar, acolher, fazer, realizar e construir.

Com a equipe coesa, o apoio da gestão e a parceria das subseccionais, fomos à luta para contribuir na construção da nova realidade. Ao mesmo tempo em que mais do que triplicamos o número de estacionamentos gratuitos existentes, implantamos novos programas, como o Caape + Perto de Você e o Caape Presente, levando os serviços para mais próximo das advogadas e advogados, especialmente do interior do estado. Ampliamos o Pedal e abrimos os Pontos Caape, oferecemos seguro de vida gratuito por acidentes pessoais e montamos uma rede de hotéis por todo o estado com hospedagem por R$ 99,90. Enfim, aumentamos o que precisava ser ampliado, ajustamos a rota onde era necessário e, ao mesmo tempo, fizemos um conjunto robusto de ações novas – e isso inclui o suporte na implantação do Anuidade Zero, uma marca da atual gestão da OAB-PE.

Hoje, nos encaminhando para a última quadra da nossa gestão na Caape, procuramos contribuir, mesmo que modestamente, para o avanço do cuidado com a advocacia pernambucana, do Litoral ao Sertão do estado. Sabemos que em todas as etapas da vida é preciso caminhar sempre. Mas essa caminhada só terá intrinsecamente valor se representar um avanço, um ir além, se encarando o futuro como se deve, sem jamais perder a esperança. É seguir, acima de tudo, com um acurado sentido de direção. E acredito que estamos no caminho certo.
 

Negócios PE - 46ª Edição
Revista Negócios PE

Negócios PE - 46ª Edição

Matérias desta edição

Negócios PE - 46ª Edição
Negócios PE

Negócios PE - 46ª Edição

Apenas R$ 29,90
Publicidade | Publicidade 03 - Banner Matrias
PUBLICIDADE